24 de jul de 2011

Ele pode estar olhando tuas fotos neste exato momento.Por que não ? Passou-se muito tempo, detalhes se perderam . E daí ? Pode ser que ele faça as mesmas coisas que você faz escondida, sem deixar rastro nem pistas . Talvez, ele passa a mão na barba mal feita e sinta saudade do quanto você gostava disso . Ou percorra trajetos que eram teus, na tentativa de não deixar que você se disperse das lembranças . As boas . Por escolha ou fatalidade, pouco importa, ele pode pensar em você . Todos os dias . E, ainda assim, preferir o silêncio . Ele pode reler teus bilhetes, procurar o teu cheiro em outros cheiros . Ele pode ouvir as tuas músicas, procurar a tua voz em outras vozes . Quem nos faz falta, acerta o coração como um vento súbito que entra pela janela aberta . Não há escape . Talvez, ele perceba que você faz falta e diferença, de alguma forma, numa noite fria . Você não sabe . Ele pode ser o cara com quem passará aquele tão sonhado verão em Paris . Talvez, ele volte . Ou não .

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem-vindos ao Primeiros Erros!
Atenção: nem todos os textos, imagens e demais conteúdos do blog são de minha autoria. Para maiores informações, críticas ou sugestões, entre em contato através de comentários.


Solte o verbo! Comente!