14 de dez de 2011


Na varanda do meu quarto, com os braços estendidos, eu olho a tempestade cair. E cada gota que cai é uma lembrança de nós. E foi apenas o que restou, lembranças e essa saudade imensa. Espero a chuva cair e te levar pra longe de mim. E o sol voltar a brilhar, me trazendo uma nova vida, com novas esperanças. Mas estou no meio de um dilúvio e ele não vai passar nem tão cedo !

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem-vindos ao Primeiros Erros!
Atenção: nem todos os textos, imagens e demais conteúdos do blog são de minha autoria. Para maiores informações, críticas ou sugestões, entre em contato através de comentários.


Solte o verbo! Comente!