22 de mai de 2012

Registros de um instante qualquer...

Eis aqui a concretização de algo que vem 'matutando' minha mente há um bom tempo. Falar sobre o cotidiano é teoricamente fácil, simples e leve e essa é exatamente a minha intenção. Espero que gostem!


22 de maio de 2012


Presenciei algo que há muito tempo só fazia parte da minha imaginação fértil. Sim garotas, mulheres e todas que se consideram do gênero feminino, ainda existem homens cavalheiros.
Deparei-me com uma situação um tanto causal e que talvez tenha passado despercebida aos olhos corriqueiros da maioria das pessoas.  
Um certo senhor, desses bem 'normais', que nada tinha em comum com um galã de folhetim, olhava pacientemente para o mostrador luminoso do elevador. Contrariando os atuais padrões de antipatia, cumprimentou-me quando entrei neste mesmo cubículo espelhado. Admirada, devolvi o "bom-dia" com um sorriso um tanto forçado, já que o inusual foge aos modelos que geralmente encontro.
Na saída, topo com outra atitude gentil e cavalheiresca: ele sai do elevador e põe sua mão na porta, fazendo-a manter-se aberta, enquanto esperou todas as damas saírem daí. Após este breve instante, caminhou costumeiramente, como se não tivesse feito nada de mais.
Aqui está a justificação da introdução deste pequeno relato. Mulheres: quantas vezes viram isso?
Acredito que esperamos demais de certos homens "pré-moldados", esses estereótipos com os quais sonhamos durante toda a vida. São esses modelos de falsa perfeição que nos decepcionam sempre. Aquela velha fantasia dos contos de fadas que transformam os galanteadores em deuses gregos.
As atitudes são a marca do caráter de qualquer pessoa e neste caso, podemos observar (mais uma vez) que a beleza não põe mesa e que os rótulo de nada servem.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem-vindos ao Primeiros Erros!
Atenção: nem todos os textos, imagens e demais conteúdos do blog são de minha autoria. Para maiores informações, críticas ou sugestões, entre em contato através de comentários.


Solte o verbo! Comente!