12 de out de 2011



Aos poucos vou percebendo o que vale mesmo a pena, o que se deve guardar para o resto da vida e o que nunca deveria ter entrado nela.
E é claro, o meu coração ainda dispara quando o vê mesmo ainda estando longe, e as borboletas sempre brincam no estômago quando ele se aproxima, tal como no nosso primeiro encontro!
Eu adoro estar com ele, adoro quando ele esboça o seu sorriso perante mim, quando ele me abraça de uma maneira forte ou mesmo até quando ele finge que não sou nada para ele... Mas, neste momento, eu só quero realmente algo que me faça sorrir, chega de acontecimentos momentâneos que só me fazem acreditar que sou feliz no instante em que os vivo... Eu quero poder dizer "sou feliz" , sempre, eu quero alguém comigo sempre, eu quero amor sempre! Eu quero que ele precise de mim sempre...
Se ele realmente quer o mesmo que eu, que o demonstre, eu ainda não aprendi a ler pensamentos...
"... E eu sou jovem de mais para deixar o amor partir do meu coração".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem-vindos ao Primeiros Erros!
Atenção: nem todos os textos, imagens e demais conteúdos do blog são de minha autoria. Para maiores informações, críticas ou sugestões, entre em contato através de comentários.


Solte o verbo! Comente!