14 de out de 2011



Dentro do meu peito jaz um coração cansado de amar o errado, de amar doído, desta ilusão traiçoeira que se veste de amor para me invadir e me sequestrar a alegria na noite.
É incrível como alguém pode alterar o meu humor num só segundo, nunca ninguém teve esse efeito sobre mim e mesmo eu desconhecia que podia funcionar tipo uma marioneta que vive em função de alguém. O pior é quando nos apercebemos que toda a nossa felicidade não passou de uns breves momentos, depois tudo volta ao normal e o nosso pensamento volta a fazer-nos lembrar de todas as razões que temos para ficar tristes. Volta tudo ao que era. Mais tarde percebemos que aquilo não foi felicidade, foi uma ilusão nossa e pensamos o quanto parvas nós fomos por sorrir por uma coisa que antes tinha sido motivo do nosso choro. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem-vindos ao Primeiros Erros!
Atenção: nem todos os textos, imagens e demais conteúdos do blog são de minha autoria. Para maiores informações, críticas ou sugestões, entre em contato através de comentários.


Solte o verbo! Comente!