18 de out de 2011



A lembrança dói. Meu cérebro tenta descobrir onde fica exatamente a dor, mas logo desiste, porque tudo dói.
Gostaria de voltar a ser criança, que quando cai da bicicleta faz cara de choro e corre aos berros para a cozinha, onde a mãe ergue do chão, da um forte abraço e beija o joelho esfolado. Eu pararia de chorar e como uma mágica a dor ia passar.
Essa é uma das coisas que as pessoas não nos ensinam quando falam de crescer:
como lidar com as dores que não passam com um beijo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem-vindos ao Primeiros Erros!
Atenção: nem todos os textos, imagens e demais conteúdos do blog são de minha autoria. Para maiores informações, críticas ou sugestões, entre em contato através de comentários.


Solte o verbo! Comente!